google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Livro de memórias de Salman Rushdie sobre esfaqueamento podem atrasar julgamento

Salman Rushdie

Em 12 de agosto de 2022, Salman Rushdie estava prestes a dar uma palestra no Chautauqua Institution, no estado de Nova York, quando um homem chamado Hadi Matar correu para o palco e esfaqueou o escritor no pescoço, olho, estômago, coxa e peito. Ele passou por tratamento no hospital por seis semanas e ficou cego de um olho com perda de sensibilidade em algumas pontas dos dedos.


Seu livro de memórias sobre o evento, intitulado Knife: Meditations After an Attempted Murder, está programado para ser publicado em 16 de abril pela Penguin. Em 2 de janeiro, o juiz do condado de Chautauqua, David Foley, disse em uma conferência pré-julgamento que o acusado Hadi Matar tem o direito de ver o manuscrito do livro de memórias e quaisquer materiais relacionados como parte da preparação do julgamento.


David Foley deu a Hadi Matar e seu advogado, Nathaniel Barone, até quarta-feira, 3 de janeiro, para decidir se adiam o julgamento até que tenham uma cópia do manuscrito com antecedência ou uma vez que ele tenha sido liberado na primavera.


Os representantes de Salman Rushdie recusaram o pedido do promotor para uma cópia do livro de memórias citando direitos de propriedade intelectual, disse o promotor distrital Jason Schmidt. Schmidt também questionou a relevância do conteúdo do livro de memórias no julgamento, já que o ataque foi testemunhado por um grande público e o próprio Rushdie poderia testemunhar.


Hadi Matar se declarou inocente das acusações de tentativa de homicídio em segundo grau e agressão em segundo grau. Ele está detido sem fiança desde sua prisão imediatamente após o ataque. O ataque aconteceu 33 anos depois que o falecido líder do Irã, o aiatolá Ruhollah Khomeini, emitiu uma fatwa pedindo a morte de Rushdie após a publicação de Os Versos Satânicos, que foi considerada blasfema.


Fonte da matéria aqui.

bottom of page