google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Nós nos Espalhamos Resenha

Atualizado: 12 de fev.

Nós nos Espalhamos Resenha

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: A artista plástica Penny morou no mesmo apartamento por décadas, cercada de artefatos e recordações de sua longa vida. Antes do falecimento de seu parceiro de muitos anos, foram tomadas providências para a obtenção de um quarto em uma casa de repouso para idosos, onde ela se vê depois de um entre muitos "incidentes". No início, bem-acolhida por seus pares, conversando, comendo, dormindo, olhando a linda floresta que margeia a casa de repouso, tudo parece ótimo. À medida que os dias passam a se confundir em um borrão, Penny começa a perder controle da passagem do tempo e de seu lugar no mundo.

Resenha: A primeira leitura que eu fiz do autor Iain Reid foi o 'Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo', um dos meus livros preferidos. 'Nós nos Espalhamos' traz novamente um estilo de escrita bem doido que reforça o medo e a insegurança da velhice. Os romances de mistério contemporâneos são repletos de personagens idosos e ágeis resolvendo crimes, mas são raros os livros escritos a partir do ponto de vista de vítimas idosas que tentam manter coerentes os seus sentidos de identidade.

Iain Reid mais uma vez entrega uma obra que se destaca. A escrita do autor é clara e organizada, rica em detalhes, mas nunca exigente. Essa particularidade, no entanto, apenas aumenta a sensação de irrealidade versus realidade se confundindo com uma clareza onírica. Cada detalhe, por mais concreto que seja, torna-se fungível.

O autor aborda temas do cotidiano de qualquer adulto, o medo de envelhecer e a fragilidade da identidade, afinal a velhice é uma caixa de surpresas. Através da personagem Penny, eu posso perceber a forte influência penetrante do passado sobre o presente. Não é uma leitura fácil, assim como em 'Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo', o livro continuou a falar comigo mesmo após o término da leitura.

A parte mais comovente deste thriller psicológico, que também serve como uma metáfora poderosa para o envelhecimento, é como Penny está ciente do que está perdendo, e consciente de que deve lutar. Iain Reid, mais uma vez, foi sagaz em transportar o leitor para a mente de uma pessoa que está enlouquecendo, e com isso, deixando o leitor louco junto hehehe...

Eu achei que a história de 'Nós nos Espalhamos' terminou um pouco cedo demais, o final parece apressado, não que isso seja exatamente um problema, muito longe disso. Pelo fato da história ter ressoado por dias após a leitura, eu queria ter ficado mais com Penny, eu simplesmente não queria que o livro acabasse, a propósito eu li a obra em um dia, não deu para largar!

'Nós nos Espalhamos' flerta com o surrealismo, levando o leitor a atmosferas como suspense ou até mesmo ficção científica, é difícil saber o que realmente está acontecendo, se é tudo loucura de Penny ou se realmente estão fazendo algo com ela. Respostas e explicações talvez você não encontre aqui, Iain Reid deixa o leitor a vontade para sentir a obra de sua maneira, e tirar suas próprias conclusões.

'Nós nos Espalhamos' é lindamente escrito, com uma tensão assustadora que leva ao seu final ambivalente. Iain Reid mais uma vez mexeu comigo, assim como em 'Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo', essa obra me fez refletir por dias. 'Nós nos Espalhamos' foi um presente enviado pela editora Rocco, então por favor, todos comprando o livro, pois vale muito a pena tê-lo na estante.


Nota 9


bottom of page