google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Turma da Mônica: Laços Crítica

Atualizado: 25 de abr.

Turma da Mônica: Laços Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Floquinho, o cachorro do Cebolinha, desapareceu. O menino desenvolve então um plano infalível para resgatar o cãozinho, mas para isso vai precisar da ajuda de seus fiéis amigos Mônica, Magali e Cascão. Juntos, eles irão enfrentar grandes desafios e viver grandes aventuras para levar o cão de volta para casa.

Crítica: Ver um live action da Turma da Mônica é mais que um sonho, é acima de tudo uma imensa responsabilidade. Afinal de contas, como respeitar toda esta turma que os acompanhou ao longo de tantos anos, sem deixar de lado a necessária atração aos mais jovens? Pois bem, eu já vou logo escrevendo que 'Turma da Mônica: Laços' é para as crianças e não muito para sua base de fãs mais velhos.

A partir de uma minuciosa direção de arte, o filme trouxe à vida o bairro do Limoeiro e contornos reais a tantos personagens ficcionais, alguns de forma espantosa, trazendo um ar nostálgico para os espectadores adultos. 'Turma da Mônica: Laços' constrói uma ambientação que flerta com o passado, mas que dialoga com o presente através do gestual das crianças e expressões típicas do cotidiano, como "só que não".

O elenco mirim é muito bom e souberam captar bem as personalidades dos personagens mais queridos do Brasil. Porém o filme opta por deixar o Cascão e Magali muito em segundo plano. A relação de Cebolinha e Mônica é melhor desenvolvida e explorada, mas a amizade forte entre Cebolinha e Cascão e da Mônica com a Magali não transparece muito bem na tela.

Cuidadoso ao não propagar a violência, mantém a Mônica briguenta mas repercute tais momentos apenas através de onomatopeias e expressões de quem está à volta, um belo meio de contornar uma situação delicada nos dias atuais, sem trair a essência da personagem. O que para os adultos pode não agradar muito, eu não curti.

Uma das grandes inconsistências do filme infantil é o estranhíssimo tom esverdeado desbotado usado nos efeitos especiais do Floquinho. Eu achei a escolha bem errada, ficou extremamente feio na tela, seria melhor ter deixado transparecer a raça do cachorro real. Ainda bem que o pintaram digitalmente, se não a produção teria um problemão para resolver depois.


O vilão do filme não tem uma presença forte, ele mal aparece na verdade, por isso 'Turma da Mônica: Laços' não tem um senso de urgência, ele transparece um objetivo claro para possamos embarcar em uma super aventura com a Turma. Honestamente em hora nenhuma oferece algum perigo aos nossos heróis, estando na tela apenas por necessidade da narrativa.

A trama é super simples, o que não é necessariamente um problema. Com um ritmo intencionalmente mais lento, o filme por vezes carece de maior agilidade, especialmente quando o quarteto adentra a floresta, o que pode ser um problema especialmente para as crianças, tão acostumadas com o ritmo frenético dos recentes blockbusters.

Eu não considero 'Turma da Mônica: Laços' uma boa adaptação, tem uma resenha a graphic novel aqui no site, é só clicar aqui para ler. O quadrinho tem como foco o relacionamento do Cebolinha com o Floquinho trazendo flashbacks de Cebolinha quando bebê, o que não tem no filme. As duas obras são totalmente diferentes uma da outra.

Talvez na intenção de agradar o público adulto e infantil, 'Turma da Mônica: Laços' acaba não cativando nenhum dos dois. Com uma trama muito simples, o filme não oferece uma aventura cativante e não consegue fazer o telespectador mergulhar nessa história. Há pouco para as crianças aqui, a nostalgia pode ser sentida pelos adultos, mas desaponta. Sobre a adaptação do quadrinho, 'Turma da Mônica: Laços' não faz um bom trabalho.


Nota: 4




ความคิดเห็น


bottom of page