google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Space Jam: Um Novo Legado Crítica

Space Jam Um Novo Legado crítica filme cinema longa-metragem crítica de filme crítica de cinema

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS

 

Sinopse: A inteligência artificial, Al G sequestra o filho de Lebron James e envia o lendário jogador dos Los Angeles Lakers para uma realidade paralela, onde vivem apenas os personagens de desenho animado da Warner Bros. Para resgatar o seu filho, ele precisará vencer uma partida épica de basquete contra super versões digitais das maiores estrelas da história da NBA e da WNBA. Para essa dura missão, King James terá a ajuda de Pernalonga, Patolino, Lola Bunny, dentre outros personagens consagrados de Looney Tunes.

 

Crítica: Se você já assistiu ao primeiro filme, então você conhece o esboço básico de 'Space Jam: Um Novo Legado'. O enredo, tal como é, é muito semelhante ao do filme de 1996, exceto que o inimigo alienígena foi alterado para um computador. Existe uma grande estrela da NBA de renome mundial. Há uma razão ridícula e absurdamente inventada para que essa superestrela seja sugada para um mundo fantástico cheio de personagens do Looney Tunes. E há uma razão igualmente idiota para a superestrela e os personagens animados unirem forças e jogarem um jogo de basquete de alto risco contra um vilão nefasto.

 

Com um roteiro creditado a uma lista perturbadoramente longa de roteiristas, a história ainda consegue ser é uma repetição monótona e rotineira de questões pai-filho e muitas outras questões de filmes de família.

 

Como a maior parte do filme se passa em um computador, muitos dos ambientes são inteiramente CGI. As seções refrescantes que remetem ao estilo de animação 2D tradicional são muito fugazes e não demora muito para que os personagens clássicos sejam transformados em suaves simulacros de CGI para o confronto climático. 

 

Ao assistir o primeiro 'Space Jam' hoje, o filme traz uma estranheza divertida da animação genuinamente executada dos anos 90. O mesmo não pode ser dito para a sequência que é um filme tão insuportavelmente fabricado em estúdio que qualquer coisa potencialmente parecida com entretenimento torna-se chata, óbvia e exaustiva, a infusão de tecnologia rouba a diversão do filme. 

 

As performances também têm problemas para vender o material, com James tão duro em sua entrega quanto Jordan era no passado. Graças a Deus por Cheadle, um ator com presença real na tela que está se divertindo em um papel para um filme que não merece seu magnetismo. As crianças podem se divertir com o barulho e a grande palhaçada, mas os pais podem achar o tempo de execução de duas horas um tanto quanto uma tarefa árdua.

 

'Space Jam: Um Novo Legado' pode não ser tão horrível quanto parecia, o filme é um sinal sombrio de um futuro no qual os estúdios de cinema tratam os atores como adereços e tão facilmente substituíveis digitalmente como qualquer outra parte de um mundo CGI. Obviamente, o longa trata de preservar o legado da Warner, mas o filme se torna um passeio exaustivo pelo catálogo da Warner Bros.

 

Nota: 3



Comments


bottom of page