google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Robin Hood: A Origem Crítica

Robin Hood: A Origem crítica filme cinema longa-metragem crítica de filme crítica de cinema

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS

 

Sinopse: A origem da famosa lenda sobre o ladrão que rouba dos ricos para dar aos pobres é contada a partir de quando Robin Hood (Taron Egerton) volta das Cruzadas e surpreende-se ao encontrar a Floresta Sherwood infestada de criminosos. Ele não deixará que as coisas permaneçam desse jeito e contará com a ajuda de John (Jamie Foxx) e Marian (Eve Hewson) para trazer justiça à cidade.

 

Crítica: A mais recente releitura da mitologia ocidental é uma salada completamente incoerente. O roteiro abertamente politizado dos escritores Ben Chandler e David James Kelly, transformam o nobre Robin em um rebelde contra o avarento e covarde presidente Trump.

 

Um ponto bem negativo de "Robin Hood: A Origem" é o seu guarda roupa, que parece que saiu de um filme de ficção científica. Todo soldado é blindado, roupas de alta costura, uniformes ninjas, tudo simplesmente parece errado!

 

O diretor Otto Bathurst tem sorte de ter um trio tão atraente quanto Taron Egerton, Jamie Foxx, Jamie Dornan, que inclusive não conseguem salvar o filme. As copiosas sequências de ação do filme são editadas de maneira tão caótica e ilógica que os olhos rapidamente ficam exaustos.

 

O problema de 'Robin Hood: A Origem' tentar ser tantas coisas, é que nenhuma de suas tentativas realmente dão certo. Na maior parte do tempo, o filme é pateta o suficiente para se divertir um pouco com ele.

 

Nota: 4



Kommentare


bottom of page