google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Resistência Crítica

Resistência crítica filme cinema longa-metragem crítica de filme crítica de cinema

Uma Batalha Visualmente Impressionante, mas Tematicamente Desconectada.

 

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

 

Sinopse: Em meio a uma futura guerra entre a raça humana e as forças da inteligência artificial, Joshua, um endurecido ex-agente das forças especiais que lamenta o desaparecimento de sua esposa, é recrutado para caçar e matar o Criador, o indescritível arquiteto da IA ​​avançada que desenvolveu uma arma misteriosa com o poder de acabar com a guerra e a própria humanidade.

 

Crítica: Em um cenário cinematográfico dominado por sequências e universos pré-existentes, "Resistência" se destaca por ousar apresentar uma história original de ficção científica. O longa-metragem é dirigido e co-produzido por Gareth Edwards, que escreveu a história e co-escreveu o roteiro com Chris Weitz. O filme é estrelado por John David Washington, Gemma Chan, Ken Watanabe, Sturgill Simpson e Allison Janney. 

 

Gareth Edwards demonstra seu talento como diretor visual, criando um mundo futurista imersivo e crível, utilizando locações reais e efeitos visuais impressionantes. A direção de fotografia de Greig Fraser ("Duna") complementa essa imersão, transportando o público para essa realidade devastada. A história, embora não baseada em nenhuma obra pré-existente, levanta questões instigantes sobre a natureza da crença, a coexistência entre humanos e IA e o futuro da humanidade.

 

Um dos aspectos mais marcantes dos efeitos visuais do filme é a sua grandiosidade em meio a um orçamento restrito. Através de um uso inteligente de técnicas como fotogrametria, matte painting e CGI, a equipe conseguiu criar cenários de batalha épicos, cidades em ruínas e criaturas artificiais realistas, tudo sem comprometer a qualidade visual do filme. Para além dos grandes cenários, "Resistência" também se destaca pela atenção aos detalhes. Desde o design meticuloso de armas e veículos futuristas até a criação de efeitos atmosféricos convincentes, cada elemento visual contribui para a construção de um mundo crível e envolvente.

 

A qualidade dos efeitos visuais de "Resistência" não passou despercebida pela indústria cinematográfica. O filme recebeu cinco prêmios no Visual Effects Society Awards (VES Awards) de 2024, incluindo o prêmio principal de Melhor Filme de Efeitos Visuais. Essa conquista reforça o reconhecimento do trabalho excepcional da equipe.

 

No entanto, o filme falha em desenvolver seus personagens de forma convincente. O protagonista, interpretado por John David Washington, é inicialmente apresentado como um homem atormentado pela perda da esposa e pelo trauma da guerra. No entanto, sua jornada de vingança não revela nenhuma mudança significativa em sua personalidade ou visão de mundo. Ele permanece unidimensional ao longo do filme, reagindo aos eventos de forma previsível e sem nuances.

 

A personagem feminina principal, interpretada por Britt Marling, também sofre de falta de desenvolvimento. Apesar de ter um papel crucial na trama, suas motivações e conflitos internos não são explorados com profundidade. Ela serve mais como um objeto de afeto para o protagonista do que como um personagem autônomo com suas próprias lutas e objetivos.

 

O antagonista, interpretado por Sebastian Stan, é o personagem mais unidimensional de todos. Ele é retratado como um vilão genérico, obcecado por poder e sem nenhuma qualidade redentora. A falta de complexidade em seu arco de personagem torna difícil para o público se importar com seu destino. Os personagens superficiais limitam a capacidade do filme de se conectar com o público em um nível emocional. As cenas de ação, embora bem executadas, não conseguem compensar a falta de substância dos personagens.

 

"Resistência" também reside na sua superficialidade temática. O filme apresenta diversos temas intrigantes, mas não os desenvolve de forma satisfatória. A guerra entre humanos e robôs, por exemplo, poderia ter sido utilizada para explorar questões como o impacto da tecnologia na sociedade, a desumanização da guerra e a busca pela paz. No entanto, o filme se contenta em apresentar batalhas genéricas e sem impacto emocional, perdendo a oportunidade de oferecer uma reflexão mais profunda sobre o tema.

 

Da mesma forma, a figura do robô em forma de criança, que poderia ter sido utilizada para questionar a natureza da consciência, a ética da criação de inteligências artificiais e a relação entre humanos e máquinas, é tratada de forma superficial. O filme não explora as complexas implicações filosóficas e éticas da existência de um robô com características humanas, limitando-se a apresentá-lo como um mero instrumento de guerra.

 

A alegoria de "Resistência" parece fora de sintonia com a conversa atual sobre inteligência artificial. Embora a inteligência artificial tenha servido por muito tempo como um dispositivo narrativo por meio do qual explorar o alcance científico ou a exploração de povos marginalizados no cinema, hoje ela é uma ferramenta de exploração, inclusive usada pela própria indústria cinematográfica que a tanto criticou.

 

"Resistência" sofre com o seu roteiro inconsistente. As motivações de alguns personagens chave, como o próprio Criador e a agente Evelyn Salt, não são totalmente exploradas ou se revelam inconsistentes ao longo da narrativa. O roteiro também apresenta elementos que se configuram como cruciais para o desenvolvimento da história, mas são deixados de lado sem resolução adequada. Um exemplo é a misteriosa arma criada pelo Criador, que surge como um ponto central de conflito, mas suas capacidades e implicações são pouco exploradas.

 

O roteiro traz um outro problema que é seu ritmo. O filme oscila entre as cenas de ação e cenas lentas, para desenvolver os seus personagens e história. "Resistência" acaba entregando um filme arrastado ou até mesmo entediante. As cenas de ação são genéricas, e os momentos lentos para desenvolver toda a trama não são usados de maneira profunda.

 

Conclusão: "Resistência" é um filme visualmente impressionante, mas falha em sua narrativa e desenvolvimento de personagens. Apesar de apresentar temas instigantes, o filme os explora de forma superficial, deixando um sentimento de incompletude no público. Se você busca um espetáculo visual com ação eletrizante, "Resistência" pode te entreter. No entanto, se procura uma história profunda e personagens complexos, este filme pode não ser a melhor escolha.

 

Nota: 6



Comments


bottom of page