google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Resenha: A Guerra dos Mundos


Resenha A Guerra dos Mundos
É muito compreensível o motivo pela qual 'A Guerra dos Mundos' ser um clássico assustador e divertido.

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Eles vieram do espaço. Eles vieram de Marte. Com tripés biomecânicos gigantes, querem conquistar a Terra e manter os humanos como escravos. Nenhuma tecnologia terrestre parece ser capaz de conter a expansão do terror pelo planeta. É o começo da guerra mais importante da história. Como a humanidade poderá resistir à investida de um potencial bélico tão superior?

'A Guerra dos Mundos' é emocionante em suas descrições da destruição indiscriminada da civilização e da sensação de que a humanidade não era mais a espécie mestre. É incrível pensar que H.G. Wells imaginou tudo isso antes das viagens espaciais e dos telescópios modernos.

Publicado pela primeira vez em 1898, muitas coisas que consideramos “ciência” e “tecnologia” ainda não haviam sido inventadas ou, se tivessem, ainda estavam em sua infância. Portanto, ler descrições de naves e armas alienígenas nas quais o autor tinha pouco ou nenhum ponto de referência ilustra o poder da imaginação.

A obra foi originalmente escrita em forma de folhetim, abordando o tema do colonialismo. H.G. Wells não era totalmente contra a expansão britânica, mas discordava de alguns dos métodos, como matar nativos “primitivos” de uma terra que os colonizadores procuravam possuir.

A escrita é firme, a trama tem um ritmo bom, porém fica lenta em alguns momentos, e o narrador é genuíno e autêntico. Embora o enredo em si fosse envolvente, me peguei lutando para entender a história em alguns momentos, isso provavelmente se deve a linguagem mais antiga da obra.

À medida que o personagem principal conhece outras pessoas em sua jornada, podemos ver como diferentes personalidades respondem a esse imenso estresse. Um artilheiro em busca de ordem no caos, um pároco que luta com sua fé, um astrônomo cuja curiosidade é aguçada, mas há outros também. A descrença de quem não viu em primeira mão o que aconteceu agarrando-se à normalidade.

Eu não achei a obra perfeita, ela é bastante enfeitada com técnicas e vocabulários. Há o uso persistente do autor de descrição exagerada, muitas pequenas cenas são melhores detalhes, do que cenas maiores pela qual eu gostaria de ter emergido profundamente na história. H.G. Wells é um autor habilidoso, porém não memorável.

'A Guerra dos Mundos' é um livro importante, dado a sua publicação no início do gênero de ficção científica. Mas há outras razões para ler este livro: para vislumbrar como diferentes pessoas reagem em uma crise, por sua crítica ao colonialismo e porque levanta questões de humanidade e moralidade.

É muito compreensível o motivo pela qual 'A Guerra dos Mundos' ser um clássico assustador e divertido. H.G. Wells descreve um quase fim do mundo em palavras que poderiam ser aplicadas a qualquer civilização que tenha sido esmagada, bombardeada ou genocida.

Nota 8

bottom of page