google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Pearl: Uma História de Origem 'X' Crítica

Atualizado: 9 de mai.

Pearl: Uma História de Origem 'X' Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Situada em 1918, durante a Primeira Guerra Mundial, a história explora as origens de Pearl (Mia Goth), do filme "X: A Marca da Morte". Os eventos se passam antes do primeiro filme e revelam como a cabana onde ocorreu o massacre de "X" foi usada durante a guerra.

Crítica: A sequência de abertura anuncia uma tela muito mais ampla do que o filme anterior, inspirando-se no cinema da Era de Ouro de Hollywood. Os anacronismos dos estilos da Era de Ouro, e mais tarde da violência gratuita, são ainda mais enfatizados pelas referências ao cinema mudo.

Mia Goth co-escreveu o roteiro com Ti West enquanto eles estavam na quarentena de COVID na Nova Zelândia. O roteiro oferece um ritmo vacilante. Há monólogos excessivamente estendidos em meio a matanças e o começo do filme é lento.

West e Goth tiveram a oportunidade de explorar o ambiente que criou o impulso sexual e assassino de Pearl mostrado no filme anterior, mas eles geralmente deixam isso para a imaginação dos espectadores. 'Pearl: Uma História de Origem 'X'' apresenta seu personagem central como pouco mais que um psicopata de filme de terror com ambições egoístas, sem bússola moral e apetite por sangue.

O público sabe o suficiente sobre Pearl desde o primeiro filme para perceber que ela não será punida por seus crimes, mas a natureza dos crimes em si são convincentes o suficiente para nos manter viciados e cada vez mais horrorizado quando personagens coadjuvantes simpáticos são vítimas de seu comportamento cada vez mais perturbado.

O diretor de fotografia Eliot Rockett traz ao longa-metragem cores brilhantes e vivas, enquanto a trilha sonora de Tyler Bates e Tim Williams dá ao filme um som sinfônico estimulante que faz a jornada de Pearl parecer grandiosa.

A principal razão para ver 'Pearl: Uma História de Origem 'X'' é a hipnotizante performance de Mia Goth. Ela infunde o papel com inocência e desejo suficientes para fazer os espectadores torcerem por ela, mesmo que eles já saibam sobre seus crimes futuros e estejam chocados com suas escolhas no presente. A última cena do filme, um close-up estendido da atriz durante todos os créditos, é uma das minhas melhores cenas do cinema.

'Pearl: Uma História de Origem 'X'' é notável, o longa metragem tem alguns pontos originais em sua construção. O filme é um típico slasher, mas ele não é só sobre isso, há conversas e temas como o envolvimento com sexo, violência e as questões sociais das mulheres. 'Pearl: Uma História de Origem 'X'' abre espaço para uma discussão, mas não deixa o entretenimento "matança" de lado.


Nota: 7



Comments


bottom of page