google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

O Grinch (2000) Crítica

Atualizado: 11 de jan.


O Grinch (2000) Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Um Grinch que odeia o Natal resolve criar um plano para impedir que os habitantes da pequena cidade de Quemlândia possam comemorar a data festiva. Para tanto, na véspera do grande dia, o Grinch resolve invadir as casas das pessoas e furtivamente roubar delas tudo o que esteja relacionado ao Natal.

Crítica: Ninguém poderia interpretar o Grinch melhor que Jim Carrey, cujas palhaçadas e o senso maníaco de travessuras são muito adequados. O próprio Dr. Seuss poderia ter se voltado para Jim Carrey como modelo para o rabugento clássico se o ator estivesse por aí em 1957.

O público enfrenta uma estranha e deliciosa frustração com 'O Grinch'. Eles estão recebendo uma dose completa de Jim Carey, mas não é realmente Carrey em carne e osso. Isso é porque ele é uma mistura de roupas, maquiagem e efeitos especiais com um focinho verde e de corpo felpudo. Seus fãs podem preferir ver o verdadeiro Carrey, mas terão uma versão enterrada em um traje verde.

'O Grinch' de Carrey eleva a noção de um solitário demoníaco e o coloca por cima. Grinch é mais do que amargo e sem coração, ele é um demônio. A adaptação de Ron Howard é obviamente projetada para crianças. Felizmente, o filme mantém Grinch sorrindo e até rindo para aliviar, mas a intensidade do personagem pode assustar crianças pequenas.

É difícil se afastar da fantasia apresentada no filme. Todos os personagens estão equipados com rostos cheios de dentes fortes, penteados malucos e roupas extravagantes. Eles sugerem o elenco de 'Planeta dos Macacos' após uma sessão de depilação brutal.

Mesmo para os padrões de filmes infantis, os cenários, a maquiagem e o figurino do diretor Ron Howard parecem pesados ​​e óbvios. 'O Grinch' tem aquele visual de fundo da Universal Pictures, como se alguém tivesse simplesmente ligado às máquinas de neve em alguns sets antigos dos 'Flintstones'.

No geral o filme brilha, mas é um brilho curiosamente ineficaz, o longa é inflado. Seguir o conto é exatamente o que o filme precisava. No final, 'O Grinch' está muito ocupado consigo mesmo para se lembrar de ser realmente engraçado e emocionante. Não é o Natal que está sendo roubado aqui e sim, o espírito do Dr. Seuss. O Grinch (2000) Crítica

Nota: 5



bottom of page