google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Nimona Resenha

Atualizado: há 22 horas

Nimona Resenha

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

 

Sinopse: Nimona é uma metamorfa sem limites nem papas na língua, cujo maior sonho é ser comparsa de Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu. Mas ela não sabia que seu herói possuía escrúpulos. Menos ainda uma deliberada missão.

 

Resenha: Em 2012, Noelle Stevenson começou a postar "Nimona" online. Originalmente a HQ era uma tese para o Maryland Institute of College Art, mas o projeto acabou se transformando em um das webcomics mais amadas, ganhando o Cartoonist Studio Prize e indicações para os prêmios Harvey e Eisner. 

 

"Nimona" se passa em um reino distante que não é realmente fantasia e nem ficção científica. Essa dicotomia basicamente resume o tom e ambientação de todo o quadrinho. A HQ traz uma mistura do novo e velho em sua arte que eu achei bem interessante, dando um ar bem original para a história.

 

Os personagens carregam uma arte exagerada, com suas cabeças triangulares e cinturas finas e cotovelos salientes. Stevenson é grande no desenho gestual, o que definitivamente dá a cada personagem, seja na vanguarda ou no fundo, sua própria personalidade e presença. É muito eficaz, especialmente durante as cenas posteriores em que Stevenson embala seu quadro com pessoas e ação.

 

Magia e ciência dividem o mesmo espaço em "Nimona". Feitiçaria sombria e criaturas mágicas existem ao lado de telas e foguetes. A tensão é representada no contraste entre Ballister e Nimona, um homem de ciência (má), o outro um ser puramente mágico. No final da história, as habilidades de Nimona recebem uma explicação científica, mas ela mesma permanece misteriosa, em última análise, incognoscível.

 

O relacionamento de Ballister e Goldenloin vai muito além de seu status de arqui-inimigo. Stevenson não tem medo de questionar a percepção ou prerrogativa em seu roteiro, e ninguém na história é descaradamente benevolente ou perverso. Para Stevenson, pontos de vista e contextos contam muito para a compreensão, eu acho que o questionamento constante do certo e do errado ajuda a tornar esta obra mais interessante, especialmente para o leitor mais jovem.

 

A HQ é bem enérgica com bastante ação, porém há muitos momentos da história em que algumas cenas parecem ser muito aleatórias e tangencialmente interconectadas. Pelo fato de "Nimona" ter sido publicado online em um formato episódico, ao juntar em único volume, a história parece soar esticada demais com momentos que parecem ser desnecessários.

 

"Nimona" termina ao estilo Fênix Negra, o clichê da mulher com poderes terríveis que precisa ser dominada a todo custo, para não destruir a todos. Muito do que a HQ trata é a linha do meio entre o bem e o mal, a magia e a ciência, o amor e o ódio. Embora a obra use do clichê em muitos momentos e tenha um enredo esticado, "Nimona" foi uma viagem atemporal divertida de viver.

 

Nota 7


bottom of page