google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Livro de memórias do Al Pacino, "Sonny Boy", deve ser lançado em outubro.

Livro de memórias do Al Pacino, "Sonny Boy", deve ser lançado em outubro.

O livro de memórias do ator vencedor do Oscar Al Pacino, "Sonny Boy", deve ser lançado em outubro. O livro, lançado pela Penguin Random House, é o "livro de memórias de um homem que não tem mais nada a temer e nada a esconder", de acordo com um comunicado da editora.


O livro de memórias abordará a infância do ator de 83 anos em Nova York, sua criação com sua "mãe ferozmente amorosa, mas mentalmente doente", sua tropa de jovens amigos no sul do Bronx e seu tempo na lendária High School of Performing Arts de Nova York. Em seguida, abordará seu trabalho na cena teatral de vanguarda de Nova York nos anos 1960 e 70, antes de sua grande pausa no cinema no início dos anos 70 com o "Os Viciados", "O Poderoso Chefão" e "O Poderoso Chefão Parte II", "Serpico" e "Um Dia de Cão".


Livro de memórias do Al Pacino, "Sonny Boy", deve ser lançado em outubro.

"Escrevi 'Sonny Boy 'para expressar o que vi e passei na minha vida", disse Pacino em um comunicado. "Foi uma experiência incrivelmente pessoal e reveladora refletir sobre essa jornada e o que a atuação me permitiu fazer e os mundos que ela abriu. Minha vida inteira foi um tiro na lua, e eu fui um cara de muita sorte até agora."


O livro de memórias está há anos em construção. A Penguin Random House adquiriu os direitos da CAA, uma importante agência de talentos de Hollywood, em um acordo de US$ 5 milhões. De acordo com o Page Six, o livro de memórias de Pacino foi tratado pela mesma equipe por trás do livro de memórias best-seller de 2021 de Will Smith, Will, coescrito com Mark Manson, autor de "A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se".


Embora este seja o primeiro livro de memórias de Pacino, não é o primeiro livro do ator. Em 2006, o ator participou de "Al Pacino: In Conversation with Lawrence Grobel", que detalhou 25 anos de conversas entre Pacino e o jornalista Grobel.


Pacino foi visto mais recentemente na 96° edição do Oscar, onde entregou o último e mais prestigiado prémio da noite, de melhor filme, a Oppenheimer, de uma forma confusa e insegura.


Comments


bottom of page