google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Hugo Award recebe críticas por possível censura a premiação de 2023

Hugo Award recebe críticas por possível censura a premiação de 2023

O Hugo Award é o principal prêmio para ficção científica e fantasia literária. O prêmio é administrados pela World Science Fiction Society, um coletivo de fãs de ficção científica que votam em suas obras ou autores favoritos em mais de uma dúzia de categorias antes da conferência anual, Worldcon, que é realizada em uma cidade diferente a cada ano. O evento do ano passado foi a primeira vez que foi realizado na China.


Documentos divulgados recentemente mostraram que várias obras ou autores (alguns com ligações à China) foram excluídos da votação, apesar de receberem indicações suficientes para serem incluídos em suas respectivas listas de pré-selecionados. Nenhuma razão foi dada para as exclusões, que só foram reveladas em 20 de janeiro, quando o Hugo Award publicou as estatísticas completas de indicações para o prêmio do ano passado (2023). Alguns títulos foram listados como tendo recebido votos, mas foram marcados com um asterisco e as palavras "não elegível", sem mais detalhes.


Foram levantadas preocupações de que os autores tenham sido visados por razões políticas, ligadas ao fato de que o Partido Comunista Chinês no poder exerce um controle rígido sobre todos os eventos culturais que ocorrem dentro de suas fronteiras. Algumas pessoas da comunidade de ficção científica, na época, levantaram preocupações sobre o evento ser sediado na China quando Chengdu venceu a candidatura para sediar o evento em 2021.


O sexto episódio de "The Sandman" da Netflix, que é baseado em uma história em quadrinhos escrita por Neil Gaiman, foi excluído da categoria de melhor apresentação dramática, apesar de receber indicações suficientes para estar na votação final. Paul Weimer, um escritor de ficção científica amador, descobriu na semana passada que foi excluído da categoria de melhor escritor de fãs, apesar de receber indicações suficientes para ser selecionado. O best-seller do New York Times Babel, de RF Kuang também foi um dos "não elegível".


O comitê organizador do Chengdu Worldcon não se manifestou sobre o assunto. Dave McCarty, chefe do júri do prêmio Hugo 2023, escreveu no Facebook: "Ninguém me ordenou que fizesse nada... Não houve comunicação oficial entre a equipe do governo Hugo e o governo chinês... Depois de revisar a constituição e as regras que devemos seguir, a equipe de administração determinou que essas obras/pessoas não eram elegíveis". Ele não quis detalhar quais eram as regras.


Fonte da matéria aqui.

Comments


bottom of page