google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Frankenstein (1931) Crítica

Atualizado: 28 de mar.

Frankenstein (1931) Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: O Dr. Frankenstein, decidido a provar suas teorias de criar vida a partir dos mortos, constrói um corpo de partes de vários cadáveres que ele recolhe com a ajuda de Fritz. Quando só falta o cérebro para que seja finalizada a criatura, o doutor pede a Fritz que vá a uma faculdade e roube um. No entanto, o assistente acaba trazendo uma redoma com o cérebro de um assassino, sem que o doutor o saiba.

Crítica: A Universal Pictures está viva até hoje por causa dos filmes de monstros. Em 1930, a Universal perdeu muito dinheiro em receitas. Então, em fevereiro de 1931, 'Drácula' foi lançado e faturou muito para os estúdios naquele ano. Ficou claro para o produtor da Universal, Carl Laemmle Jr., que os filmes de terror eram o que o público queria. Em novembro do mesmo ano, 'Frankenstein' foi lançado.

O diretor James Whale fez um ótimo trabalho em sua direção. Isso não é uma coisa fácil de dirigir. A adaptação para a tela de tal história foi obviamente uma tarefa de extrema dificuldade. Cada quadro de 'Frankenstein' exibe a atenção do diretor aos detalhes. Embora alguns aspectos da produção possam parecer antiquados para o público de hoje, há uma aura assustadora que poucos filmes de hoje não conseguem alcançar.

O desempenho do ator Boris Karlofff é excepcional, movendo-se de maneira tão rígida e pesada. Ele também é capaz de transmitir a simplicidade infantil da mente do monstro. Ele tem tão pouco diálogo além de algumas palavras, mas faz você simpatizar com o ser através de seu rosto e dos sons.

O 'Frankenstein' de James Whale não é tanto baseado no livro quanto nas inúmeras peças teatrais que foram produzidas após o sucesso do conto gótico de ciência e horror de Mary Shelley. O livro aborda muitas das mazelas existenciais do homem em relação ao conceito de Deus. O filme acaba falando de forma muito leve sobre esses elementos e escolhe acentuar o melodrama da história de Mary Shelley.

A fotografia é esplêndida aqui, talvez a última palavra em engenhosidade, grande parte do longa se passa no escuro no período noturno, há bom uso da iluminação e ótimas manipulações de sombras para intensificar a atmosfera fantasmagórica de 'Frankenstein'. Outra área em que o filme se destaca é na maquiagem. Fica claro imediatamente por que o monstro de 'Frankenstein' é uma figura tão icônica do cinema. O design simples e perfeito da criatura é muito satisfatório.

'Frankenstein' deixa um pouco de lado a obra pela qual se baseia, e abusa do seu drama. Para quem leu o livro, assim como eu, pode ficar um pouco desapontado, mas o filme ainda sim, é uma obra que vale a pena ser visitada. Aproveitando o que estava dando dinheiro aos estúdios naquela época, 'Frankenstein' acaba sendo mais comercialmente elegante do que uma obra prima do terror.


Nota: 7




コメント


bottom of page