google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Elementos Crítica

Atualizado: 6 de out. de 2023


Elementos Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Na cidade onde fogo, água, terra e ar vivem em comunidade, uma jovem chama e um rapaz que só segue o fluxo vão descobrir algo elementar: quão parecidos realmente são.

Crítica: Os opostos se atraem na opinião da Pixar sobre a comédia romântica, mas a tendência de jogar pelo seguro significa que o brilhante filme do segundo ano de Peter Sohn nunca acende. Já se passaram quase 20 anos desde que a Disney adquiriu a Pixar. Eles conquistaram nove Oscars de Melhor Animação e contam com algumas das maiores estrelas do mundo entre seus dubladores, mas o diretor Peter Sohn leva as coisas em uma direção diferente com 'Elementos', uma comédia romântica.

Embora os filmes da Pixar já incluíssem romance antes, nunca houve uma comédia romântica explícita feita pelo estúdio. A ambição de Peter Sohn é admirável aqui, enquanto ele tenta trazer novas ideias para a Pixar em meio ao excesso de sequências e prequelas.

Há breves vislumbres daquela velha magia da Pixar. A caracterização de Wade como um protagonista masculino emocionalmente aberto e vulnerável parece surpreendentemente nova em um filme Disney, porém seu enredo clichê de “Romeu e Julieta” parece ultrapassado. Mesmo em um mundo tão fantástico, 'Elementos' parece fadado a ser praticamente idêntico àquele em que vivemos.

O designer de produção, Don Shank, concebe uma metrópole fascinante e de alta tecnologia, tem uma mistura de cores vivas e estilo moderno. Da mesma forma, a concepção dos personagens de Fogo e Água é excelente, com o corpo de chamas bruxuleantes de Ember e o físico de gota d'água de Wade habilmente renderizados. 'Elementos' é ousado e corajoso visualmente, mas a aparência não consegue compensar o seu enredo previsível.

Como um desafio de design artístico, 'Elementos' tem momentos triunfantes, mas como história, não parece aspirar muito além de um romance infeliz padrão. Muita mais manipuladora do que comovente, muito mais visual do que cativante, 'Elementos' é mais uma prova de que a Pixar, não se interessa mais em ser Pixar. Elementos Crítica

Nota: 5

Comprando com o meu link, você ajudará na permanência do meu trabalho.


bottom of page