google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Ear For Eye Crítica

Atualizado: 6 de out. de 2023


Ear For Eye Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Segue personagens negros britânicos e americanos de diferentes gerações navegando pela sociedade atual, oferecendo uma perspectiva crítica sobre o estado da nação.

Crítica: A adaptação de Debbie Tucker Green de sua peça teatral mistura palavra falada, teatro físico e música para oferecer uma perspectiva vital sobre a injustiça racial através do globo. Essa peça filmada começa com uma mãe conversando com seu filho adolescente sobre o que fazer quando for abordado pela polícia. Independente da atitude de seu filho, chegamos a uma única conclusão, não importa o que ele diga, vista ou faça, a cor de sua pele já carrega a culpa.

Essa adaptação cinematográfica é vital, eloquente e lindamente interpretada. ‘Ear For Eye’ de Debbie Tucker Green, estreou no Royal Court em 2018 e recebeu ótimas críticas. Na verdade, o longa-metragem é muito mais do que uma simples peça de teatro filmada. Ao fazer a delicada transferência do palco para a tela, o filme acaba ultrapassando os limites de ambas as formas. Aqui está um filme experimental emocionante sobre a experiência negra.

'Ear For Eye' é composto por três partes distintas, mas conectadas, todas elas atuando em um cenário totalmente preto com adereços mínimos. A obra escorrega um pouco ao apresentar muitas repetições (palavras como “atitude e agressão” e cenários) e isso perde um pouco do poder em alguns rápidos momentos. Quando o filme funciona, realmente funciona. Num impressionante monólogo encantatório, uma mulher negra mais velha (Carmen Munroe) fala do passado, do presente e de como pouco mudou.

A terceira parte é a mais simples de todas. Uma série de cidadãos brancos, adultos e crianças, enfrentam a câmera enquanto lêem as leis históricas de segregação e os códigos racistas de escravos que os precederam. Aqui, a urgente voz contemporânea de Tucker Green dá um passo atrás para deixar a história falar por si. Eventualmente, porque o passado nunca acaba, as vozes desaparecem.

Debbie Tucker Green traduz astutamente a angústia compartilhada e multigeracional dos negros, apresentando conversas que parecem transcender o tempo. 'Ear For Eye' é uma das peças cinematográficas mais poderosas que já vi sobre racismo, à loucura e psicose de ser negro em uma sociedade branca. Essa é uma obra-prima rebelde e revolucionária que nada tão profundamente na consciência histórica e pública da raça, que você não pode deixar de ser igualmente consumido por suas profundezas inabaláveis. Ear For Eye Crítica

Nota: 10

Comprando com o meu link, você ajudará na permanência do meu trabalho.


bottom of page