google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

As Crônicas de Nárnia Série Crítica

Atualizado: 17 de mai.

As Crônicas de Nárnia Série Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Peter, Susan, Edmund e Lucy Pevensie são irmãos que foram evacuados de Londres por causa dos ataques aéreos na Segunda Guerra Mundial . Logo depois de chegar ao seu lar temporário, as quatro crianças descobrem que um guarda-roupa em um quarto de hóspedes contém um portal para a terra mágica de Nárnia. Lá, eles se envolvem em uma guerra contra uma rainha má e ajudam a restaurar o verdadeiro governante, um leão chamado Aslan.

Crítica: A série da BBC trouxe a adaptação de quatro livros da série 'As Crônicas de Nárnia' que são: 'O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa'; 'Príncipe Caspian'; 'A Viagem do Peregrino da Alvorada' e 'A Cadeira de Prata'. A série foi transmitida entre 13 de novembro de 1988 e 23 de dezembro de 1990. A minha crítica será dada para a série em geral, pois cada temporada tem poucos episódios.



Embora fosse o início de uma era de ouro de efeitos especiais no cinema, tais modernidades ainda eram caras e, portanto, inviáveis ​​fora dos grandes estúdios dos EUA. A equipe de produção optou por uma abordagem prática com atores interpretando todas as criaturas e um esforço considerável nos figurinos e maquiagem.

Embora a produção da BBC seja uma mistura estranha de personagens fantasiados e animação, o espírito da hist￳ria de C.S. Lewis prevalece, obviamente o telespectador atual ter£ que fazer um grande esforço para invocar o espírito do livro, já que a série no geral envelheceu mal. Apesar dos efeitos especiais terríveis que podem parecer baratos para os padr￵es de hoje, a série ainda dá vida ao mundo mágico de Nárnia e a clássica batalha do bem contra o mal.

Os cenários são como algo saído da oficina do Papai Noel, feitos nos mínimos detalhes, assim como todos os figurinos e outros desenhos, os efeitos podem deixar a desejar, mas a produção é impecável. 'As Cr￴nicas de Nérnia' da BBC pode ter tido um baixo orçamento, mas o programa é puramente genuíno e sincero, os produtores estavam cientes e comprometidos em trazer toda atmosfera do livro infantil.


Algo que eu estranhei um pouco na série foi a sua atmosfera escura e pesada. Em alguns episódios algumas crianças podem ficar verdadeiramente assustados com os demônios e espíritos voando e saltando pela tela.


A série da BBC enfatiza os momentos dos personagens, o que contribui para um ritmo cuidadosamente lento. Se você gosta de uma história focada em relacionamentos, a versão BCC é a melhor, porém para mim a lentidão toda não me agradou, a série evitou bastante os momentos de ação da história, deixando o programa chato demais em muitos momentos.

A temporada que aborda os livros 'Príncipe Caspian' e 'A Viagem do Peregrino da Alvorada' traz uma maneira inglesa bastante mon￳tona em condiçõees climáticas sombrias em adaptar essas hist￳rias. Os dois livros tem bastante ação e aventura, e talvez devido a baixo orçamento esses momentos recebem um banho de água fria, deixando a série, até certo ponto, um pouco sem graça.



Aslan foi retratado de uma forma muito mais realista, alcançada através de animatr￴nicos e lindamente dublado por Ronald Pickup. Talvez esta versão do leão messiânico tenha sido nobre o suficiente para C.S. Lewis. O elenco das crianças Pevensie é inspirado e pontual, especialmente o de Sophie Wilcox como Lucy, em um sentido de consciência personificado na primeira parte da série.

É quase impossível não comparar essas produções televisivas com os filmes modernos que ganhamos nas últimas décadas. Embora 'As Cr￴nicas de Nárnia' tenha sido encantadora para as crianças de sua época, a produção da BBC pode não ter o mesmo efeito nas crianças de hoje. Esta adaptações da BBC da hist￳ria de C.S. Lewis resiste ao teste do tempo, graças aos adultos nostálgicos. Ainda há um charme por trás da série. É uma histó￳ria duradoura, envolvente e com uma moral, o que se diferencia de muitas séries geradas por algoritmos que temos hoje em dia.

Nota: 7




Comments


bottom of page