google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Cidade de Papel Livro VS Filme

Cidade de Papel Livro VS Filme

Uma das razões pelas quais os fãs do livro de John Green, “A Culpa é das Estrelas”, amaram tanto a versão cinematográfica é que, na maior parte do tempo, ela se manteve fiel ao romance. No entanto, na segunda adaptação de livro para filme de Green, esse não é o caso, em vez de apenas algumas pequenas mudanças, há realmente muitas maneiras pelas quais o filme “Cidades de Papel” é diferente do livro.


As mudanças não são necessariamente para pior. Há muitas, muitas diferenças entre livro e filme de “Cidades de Papel”. Abaixo você confere algumas mudanças e é muito óbvio que o texto a seguir está cheio de spoilers do filme e do livro.


1. No livro, o plano de vingança de Margo consiste em 11 partes. O filme tem nove.


2. No livro Margo deixa flores para a garota que a informou que Jace estava traindo, mas tal personagem não existe no filme, então a cena nem existi no filme.


3. No livro, Margo diz a Quentin para escolher quem ele quer fazer uma trollagem, e ele escolhe Chuck, o valentão da escola. No filme, porém, Quentin fica apreensivo em fazer qualquer coisa com Chuck, e só depila a sobrancelha dele após pressão de Margo.


4. No filme, a noite de (des)aventura de Margo e Quentin perde uma parada muito importante: o Seaworld. No livro, Margo quer ir porque é o único parque temático que ela não invadiu. 


5. Em vez de registrar um boletim de ocorrência, como fazem no livro, os pais de Margo não fazem nada para tentar recuperar a filha. Não é que eles sejam tão legais na obra literária, mas ainda assim, é uma mudança bem significativa entre as obras.


6. No livro, Quentin mente para sua mãe que ele vai ao um baile sozinho, mas em vez disso passa a noite tentando encontrar Margo. No filme, depois de se recuperar de sua conversa com Margo, Quentin pega um ônibus de volta para Orlando e vai para o baile.


7. No livro, toda a viagem para encontrar Margo é assim: Quentin descobre que Margo está em Agloe a partir da entrada do Omniccionário no dia da formatura (portanto, depois do baile), e diz que ela só estará lá "até 29 de maio ao meio-dia". A turma parte para Agloe diretamente da formatura para que eles possam chegar lá até o dia 29 de maio, ao meio-dia, que acontece no dia seguinte. Eles se envolvem em um acidente, mas isso só causa danos mínimos e eles continuam em frente. No filme, tudo isso acontece antes do baile. O acidente de carro, no filme, é somente um pneu furado, então eles têm que esperar por algumas horas por ajuda.


8. No livro, quando a turma chega a Agloe, finalmente, eles encontram Margo sentada em uma cadeira de escritório em um celeiro, escrevendo em um diário e ostentando um novo corte de cabelo. Em seguida, todos a confrontam sobre seu desaparecimento, Margo é meio maldosa com Lacey, todos saem, exceto Quentin, e então os dois se desentendem sobre tudo, incluindo sua obsessão por ela e idealização dela. Ele a convence a ligar para seus pais para dizer que ela está bem, e ela tenta convencê-lo a se mudar para Nova York com ela. Os dois se beijam e prometem manter contato. No filme, Margo não está no celeiro. A turma espera por um tempo e acaba saindo sem Quentin, que está determinado a esperá-la por mais tempo. Eventualmente, ele vai para a cidade real perto de Agloe, e vê Margo depois que ele comprou uma passagem de ônibus de volta para Orlando. Ela o convida para ir com ela, mas não diz onde, e quando ele diz para ela ligar para sua irmã, Margo diz que eles conversam todos os dias. Os dois se beijam. Quentin volta para casa e para o baile.


9. No livro, a força motriz por trás dos esforços de Quentin para encontrar Margo é que ele tem medo de que ela tenha cometido suicídio. Quando ele vasculha o armazém abandonado, ele tem medo de ver seu corpo morto e anotações dela. Essa é uma parte séria e importante do livro, porém no filme, tudo isso foi deixado de lado, não há nada que indique que Margo possa ser suicida, e a razão de Quentin para encontrá-la tem a ver com seu desejo de vê-la, não com seu medo de que ela tire a própria vida. A mudança torna o filme muito mais leve, mas tira o suspense e a intensidade da obra literária.


10. A falta severa do Sr. e da Sra. Jacobsen tira muito de Quentin como personagem. No livro, vemos como suas vidas profissionais como terapeutas colidem com suas vidas pessoais como pais. Boa parte da tomada de decisão de Quentin logo no início do livro reflete o racional de seus pais e depois, mais tarde, quando ele se desvia e corre mais riscos, a mudança é muito mais profunda. No filme esses personagens são completamente deixados de lados, diminuindo sua importância na história.


11. Os melhores amigos de Quentin, Ben e Radar, são personagens divertidos no livro, mas definitivamente são os dois que mais tiveram a ganhar com a vida nas telonas. No entanto, Ben e Radar sofrem um pouco com a simplificação de sua amizade com Quentin. No filme a diferença entre a conexão de Quentin com Radar e sua conexão com Ben é muito resumida e pouco diferenciada. No livro, fica claro que Quentin poderia contar com Radar quando se tratava de certas coisas e com Ben quando se tratava de outras.


O filme acaba reduzindo o valor de toda a história. “Cidades de Papel” é sólido, mas não havia absolutamente nenhuma maneira de espremer o suficiente do livro no filme para garantir que fosse tão eficaz. Claramente eu prefiro o livro ao filme, mas a obra cinematográfica ainda pode ser divertida.




ความคิดเห็น


bottom of page