google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Carrie, a Estranha Resenha

Atualizado: 2 de mai.

Carrie, a Estranha Resenha

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Carrie é uma adolescente tímida e solitária e completamente dominada pela mãe, uma fanática religiosa que reprime todas as vontades e descobertas de uma jovem de sua idade. Para Carrie, tudo é pecado. Para os colegas de escola e professores, Carrie é uma garota estranha, incapaz de conviver com os outros. Cada vez mais isolada, ela sofre com o sarcasmo e o deboche dos colegas. No entanto, há um segredo por trás de sua aparência frágil: Carrie tem poderes sobrenaturais.

Resenha: 'Carrie, a Estranha' é o primeiro romance de Stephen King a ser lançado, mas foi a quarta obra que o autor escreveu e enviou às editoras, sim meus amigos leitores, o mestre da escrita tinha quatro obras e todas foram rejeitadas, até Stephen King já recebeu um NÃO na vida. O autor chegou a jogar o rascunho de 'Carrie, a Estranha' na lata de lixo, até que sua esposa, Tabitha Spruce o convenceu a resgatá-lo. Obrigado Tabitha Spruce!

No que diz respeito às estreias, esta é impressionante! 'Carrie, a Estranha' é uma história de terror que usa o ritmo lento para atrair você. Eu acho que a personagem principal Carrie é fascinante, ela é uma espécie de anti-herói, a narrativa de Stephen King me fez ter pena e compaixão pela personagem, mas ao mesmo tempo eu quis vingança, eu quis que ela se vingasse.

Os poderes de telecinese de Carrie é exposto desde o começo, até mesmo na sinopse do livro, todo o suspense em volta das habilidade da personagem estão lá desde a primeira página, imaginando quando e onde Carrie usará sua habilidade pela primeira vez, será intencional ou acidental, será para ajudar ou prejudicar? Talvez esse seja um dos motivos de eu ter ficado preso à leitura.

O livro tem outros personagens que são poucos desenvolvidos e mais usados para fazerem a trama evoluir, os colegas de classe e professores são os típicos arquétipos de livros adolescentes. 'Carrie, a Estranha' oferece uma personagem que me deixou bastante intrigado, que é a mãe de Carrie, uma mulher abusiva e extremamente religiosa. Ela tem um pouco de fundo na história e talvez tenha me conquistado por ser um tipo de anti-herói também assim como sua filha. Por mais louco e fictício que o livro seja, é fácil de se relacionar com seus personagens.

Estruturalmente o livro é muito estranho (no bom sentido), com uma narrativa padrão de Stephen King em terceira pessoa intercalada com trechos de outras mídias: reportagens de jornais, autobiografias de personagens, transcrições de entrevistas policiais, esse tipo de coisa. Os trechos e recortes deixam a história mais lenta, às vezes não parecem agregar muito a história, mas deixam um ar mais realista na obra.

O final de 'Carrie, a Estranha' é tragicamente intrigante, é nessa parte em que o elemento de terror do livro dá as caras, eu falo da famosa cena icônica do baile. O restante da obra soa muito parecido com enredos de filmes adolescentes que estamos acostumados a ver por aí, mas com um desenvolvimento de personagens e com a escrita única de Stephen King.

Se você quiser conhecer a obra de Stephen King, eu recomendo você começar por 'Carrie, a Estranha'. Com menos de 300 páginas, o livro é perfeito para conhecer o autor e seu estilo. A obra é curta e dá ao leitor um vislumbre da imaginação mais sombria de Stephen King. 'Carrie, a Estranha' é um clássico moderno do sobrenatural, este thriller curto e direto serviu de modelo para inúmeras imitações para os tempos modernos.


Nota: 8


Kommentare


bottom of page