google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Caça-Fantasmas Crítica

Caça-Fantasmas Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS

 

Sinopse: Atualmente uma respeitada professora da Universidade de Columbia, Erin Gilbert escreveu anos atrás um livro sobre a existência de fantasmas em parceria com a colega Abby Yates. A obra, que nunca foi levada a sério, é descoberta por seus pares acadêmicos e Erin perde o emprego. Quando Patty Tolan, funcionária do metrô de Nova York, presencia estranhos eventos no subterrâneo, Erin, Abby e Jillian Holtzmann se unem e partem para a ação pela salvação da cidade e do mundo.

 

Crítica: 'Os Caça-Fantasmas' foi um grande sucesso e foi uma boa ideia refazer o filme com um elenco só com mulheres. Quando você tem mulheres tão engraçadas como Kristen Wiig, Kate McKinnon, Leslie Jones e Melissa McCarthy fazendo filmes, é inteligente encontrar maneiras de juntá-las, mas esse remake parece desperdiçar todas as oportunidades.

 

'Caça-Fantasmas' começa bem, com Zach Woods como guia turístico em uma casa mal-assombrada. Em seguida, a ação muda para Kristen Wiig, como Erin, uma professora de física a poucos dias de sua revisão de mandato. O roteiro é nítido com algumas linhas inteligentes, mas nada parece funcionar aqui.

 

Todo o caos sobrenatural do primeiro filme foi apoiado pelo ótimo relacionamento entre quatro personagens principais, distintamente desenhados. 'Caça-Fantasmas' não traz uma relação convincente entre essas personagens o que deixa o longa fora de órbita dentro de seu próprio universo.

 

Chris Hemsworth rouba bastante a cena como um secretário pouco inteligente. Kristen Wiig sabe que a comédia é basicamente drama, mas atua com senso de humor e Melissa McCarthy é sempre um prazer assisti-la na comédia. O que dá errado é que Wiig e McCarthy são apenas duas pessoas e 'Caça-Fantasmas' é sobre um quarteto.

 

Kate McKinnon, em particular, está chocantemente deslocada e ela ajuda a arrastar o filme para baixo com expressões faciais e gestos selvagens, reações fora de contexto e vozes estranhas sem motivo específico. Temos Leslie Jones, cujo papel como trabalhadora do metrô transformado em caça-fantasmas é completamente plano.

 

A ladainha do fanservice também não ajuda 'Caça-Fantasmas'. Bill Murray, Dan Aykroyd, Sigourney Weaver, o busto de Harold Ramis, Ernie Hudson, Annie Potts, Slimer e mais, todos mostram seus rostos em cenas que parecem criadas para a seção de aplausos enlatados de uma comédia quando o amado personagem finalmente aparece. E suas aparições sempre paralisam qualquer impulso que existe enquanto ele se deleita em suas aparições nostálgicas, mas sem sentido.

 

'Caça-Fantasmas' segue o modelo do original de Dan Aykroyd e Harold Ramis, o roteiro fraco de Feig e sua co-roteirista Katie Dippold não dá caldo para um boa história. Com pouco humor e tensão, os encontros assustadores são colisões rotineiras com espectros vaporosos de CGI que se transformam em um cataclismo sobrenatural sem envolvimento desencadeado na Times Square de Nova York.

 

'Os Caça-Fantasmas' pode ter nos feito sentir bem em 1984, mas essa atualização pouco imaginativa cruza seus fluxos convencionais muitas vezes para seu próprio bem. É uma pena que esta atualização quase sem graça e sem inspiração só irá alimentar os raivosos fãs do clássico. É tudo ocupado e barulhento com zero emoção e pouca comédia sustentável.

 

Nota: 4



ความคิดเห็น


bottom of page