google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Antes Que O Café Esfrie Resenha

Antes Que O Café Esfrie Resenha

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

 

Sinopse: Em uma ruazinha estreita e silenciosa de Tóquio, num subsolo, existe um estabelecimento que, há mais de 100 anos, serve um café cuidadosamente preparado. Além disso, uma estranha lenda urbana conta que os clientes podem viver ali uma experiência única: fazer uma viagem no tempo. 

 

Resenha: Originalmente estreando nos palcos do Japão, "Antes Que O Café Esfrie" ganhou elogios e prêmios ao dramaturgo, Toshikazu Kawaguchi. Sua popularidade inspirou Kawaguchi a adaptar a peça em seu primeiro romance em 2015.

 

Em quatro capítulos entrelaçados, o autor convida os leitores a acompanhar quatro intrépidos aventureiros que desejam uma segunda chance em uma conversa crucial em suas vidas. Um tema que está muito em alta no momento, histórias onde se pode mudar o passado ou viajar sobre ele.

 

A empresária Fumiko está desesperada para ser mais aberta e vulnerável durante seu último encontro com seu namorado Goro antes que ele faça uma transferência de emprego para os EUA. A enfermeira Kohtake quer mais uma oportunidade de conversar com seu marido Fusagi antes que o Alzheimer o faça esquecer demais – incluindo ela. A dona do bar Hirai precisa conversar com sua irmã mais nova, Kumi, a quem ela evita há muitos anos. E então a co-proprietária Kei, que está grávida, quer um vislumbre do futuro para conhecer seu feto.

 

Suas narrativas são delicadamente entrelaçadas para produzir uma história de amor, perda e esperança que certamente trará algumas lágrimas aos seus olhos. Não há muita profundidade no desenvolvimento dessas histórias, elas têm um papel muito bem definido, sendo muito preso a mensagens que seus enredos carregam.

 

O formato deixou a obra episódica demais, prejudicando o ritmo do livro. Como Kawaguchi é um dramaturgo, sua escrita é desajeitada e pesando um pouco mais ao sentimentalismo, apesar do brilho e romantismo de suas cenas centrais. A preferência japonesa pelo sentimentalismo explícito é difícil de digerir para mim, pois não curto muito. A escrita, às vezes é abrupta e pobre, com descrições detalhadas que não aprofundam a trama.

 

O café é quase que um personagem à parte. Embora o cenário seja bastante simplista, o charme do velho café mágico é sombrio é evidente na escrita de Kawaguchi. O cenário é soberbo — com três relógios (apenas um funciona), um ventilador de teto antigo e nenhum ar-condicionado.

 

O livro explora as complexidades das relações humanas e as consequências de nossas ações. Kawaguchi levanta questões filosóficas sobre a natureza do arrependimento, a importância de aproveitar o presente e o profundo impacto até mesmo nas menores ações no curso da vida. Aqui tem outras questões que eu não gostei do livro, pois ele soa um pouco autoajuda.

 

"Antes Que O Café Esfrie" é um romance terno, que tenta passar mensagens valiosas com sua história simples. O livro explora as complexidades humanas através das lentes da viagem no tempo, com uma história e personagens pouco aprofundados. Apesar do ritmo comprometido e sua estrutura autoajuda, a obra pode ser uma boa escolha para quem está interessado por uma leitura rápida e fácil. Antes Que O Café Esfrie Resenha

 Nota 5


bottom of page