google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

Anjos e Demônios Resenha

Atualizado: 22 de abr.

Anjos e Demônios Resenha

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Robert Langdon, o famoso professor de simbologia de Harvard, vive sua primeira aventura em ‘Anjos e Demônios’, quando tenta impedir que uma antiga sociedade secreta destrua a Cidade do Vaticano. Às vésperas do conclave que vai eleger o novo Papa, Langdon é chamado às pressas para analisar um misterioso símbolo marcado a fogo no peito de um físico assassinado em um grande centro de pesquisas na Suíça. Ele descobre indícios de algo inimaginável: a assinatura macabra no corpo da vítima é dos Illuminati, uma poderosa fraternidade que ressurge disposta a levar a cabo a lendária vingança contra a Igreja Católica. De posse de uma nova arma devastadora, roubada do centro de pesquisas, ela ameaça explodir a Cidade do Vaticano e matar os quatro cardeais mais cotados para a sucessão papal. Correndo contra o tempo, Langdon voa para Roma junto com Vittoria Vetra, uma bela cientista italiana. Numa caçada frenética por criptas, igrejas e catedrais, os dois desvendam enigmas e seguem uma trilha que pode levar ao covil dos Illuminati.

Resenha: Definitivamente o autor Dan Brown é um ótimo pesquisador. É bem notável que ele tem o conhecimento dos símbolos e todo o universo científico e religioso da obra. A dedicação do autor, só realça a veracidade da trama e o mistério.

O enredo, firmado em conspirações, consegue prender qualquer leitor do início até o último capítulo de 'Anjos e Demônios', porém a sua construção de escrita foi um problema para mim, a história às vezes é um pouco solta e tem muitos detalhes, o livro definitivamente é longo demais.

Para criar esses finais de suspense para cada capítulo, Dan Brown geralmente lhe dá falsas esperanças. O enredo basicamente segue: algo interessante é encontrado, algo perigoso é sugerido, Langdon descobre o que isso significa, o próximo capítulo começa em outro lugar, então Langdon nos conta o que isso significa no capítulo seguinte. Esse padrão de escrita me fez achar 'Anjos e Demônios' chato.

As conspirações e teorias podem soar incríveis para alguns leitores, mas para mim 'Anjos e Demônios' não conseguiu me convencer com suas tentativas de impressionar, tudo parece forçado e irreal demais, por mais que o autor tente provar o contrário.

O personagem Robert Langdon é inteligente e direto ao ponto. Ele não é particularmente engraçado ou espirituoso. Vittoria é uma personagem poderosa que sabe o que quer e não tem medo de expressar, porém está ali para ser o interesse amoroso por Langdon. Os personagens secundários só tem como objetivo fazer a trama seguir em frente.

E aqui eu tenho um outro problema com 'Anjos e Demônios', os seus personagens principais são pouco atraentes e cativantes, a leitura para mim funcionou somente para saber a resolução do mistério, mas não tive nenhuma identificação com qualquer personagem.

Em 'Anjos e Demônios', Dan Brown demonstra novamente sua habilidade de criar um mistério fascinante sobre ciência, religião e história da arte. Pouco convincente e com personagens nada relacionáveis, o livro também escorrega no ritmo com o seu padrão de escrita. A obra não é perfeita, mas me deixou preso na trama do começo ao fim.


Nota: 6


Comments


bottom of page