google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

A Viagem do Peregrino da Alvorada Crítica

Atualizado: 1 de mar.

A Viagem do Peregrino da Alvorada Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Lúcia (Georgie Henley), Edmundo (Skandr Keynes) e Eustáquio (Will Poulter) retornam para Nárnia, onde encontram com príncipe Caspian (Ben Barnes), agora rei, e outros amigos. Buscando os Sete Fidalgos Desaparecidos de Telmar, eles começam uma nova aventura a bordo do navio Peregrino da Alvorada e irão encarar guerreiros, dragões, anões e tritões.

Crítica: 'A Viagem do Peregrino da Alvorada' é baseado no terceiro livro da série cristã de C.S. Lewis, 'As Crônicas de Narnia', o longa é um naufrágio total, uma aventura em potencial com escassas relações de magia e uma tripulação apática. Esse problema não existe em sua fonte de origem, a obra literária é uma fábula infantil alegórica sobre fé e o fantástico, mas infelizmente não ficou muito bem traduzida em forma de filme.

Os efeitos especiais da produção são geralmente fortes e algumas cenas têm potencial para serem bem bonitas. Um dos personagens se transforma em um dragão, e isso impressiona na tela, assim como a gigantesca serpente marinha que assalta o navio durante o clímax.

O filme é uma fantasia leve com um enredo e visuais maçantes e sinuosos, quase destruídos por uma conversão 3D que pouco empolga, tornando 'A Viagem do Peregrino da Alvorada' inferior a seus antecessores. O longa é sem inspiração e superficial, e há uma sensação crescente ao longo do filme de que não há motivo real para nada do que está acontecendo.

Na tentativa de trazer alguma estrutura para a narrativa, o filme ocasionalmente se afasta significativamente do livro. Na verdade, sem dúvida, o elemento mais enérgico do filme - uma longa batalha com uma gigantesca serpente marinha - foi planejado para a tela. Ainda assim, mesmo com a busca afiada 'A Viagem do Peregrino da Alvorada' serpenteia e sua caminhada exige quase duas horas, mas é difícil argumentar que o destino vale o investimento de tempo.

No centro pegajoso desse monte de complicações, as crianças devem enfrentar suas próprias tentações, sendo transformadas de espectadores inocentes para personagens de um videogame sem sangue. Não há sensação de perigo para os personagens com os quais nos importamos, os efeitos CGI são um bocejo e o diretor veterano Michael Apted não encontra lugar neste conto pedestre para quaisquer lições morais memoráveis.

O desenvolvimento do personagem é superficial. Lucy e Edmund, eles não se destacam como memoráveis ​​ou notáveis. Uma reclamação semelhante pode ser feita sobre Caspian, embora este seja apenas seu segundo filme. Eustáquio é um pirralho genérico. Os dois indivíduos mais atraentes são trazidos à vida por efeitos especiais: o rato aventureiro Reepicheep (cuja voz é fornecida por Simon Pegg) e o personagem Eustáquio em forma de dragão.

O longa apresenta algumas mudanças estranhas de tom com um ar de tristeza no final quando a finalidade de certas despedidas fica clara. Ao longo do filme, muitos elementos de fantasia comuns estão presentes, incluindo uma masmorra e um dragão, mas a simplicidade essencial e a falta de ambição tornam 'A Viagem do Peregrino da Alvorada' uma viagem normal e um tanto chata.


Nota 5



Comments


bottom of page