google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

A Torre Negra Resenha

Atualizado: 6 de mai.

A Torre Negra Resenha

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Roland Deschain e seu ka-tet viajaram juntos e separados, espalhados e distantes, em mundos paralelos, em diferentes tempos e espaços. Agora o destino de Roland, Susannah, Jake, padre Callaham, Oi e Eddie são unidos na própria Torre Negra, que os atrai para cada vez mais perto de seus próprios fins. Neste capítulo final, o grupo acompanha o último Pistoleiro na missão para encontrar – e salvar – a Torre das mãos do Rei Rubro e seus aliados, e o desfecho da missão implacável de Roland e seu ka-tet finalmente é revelado.

Resenha: Stephen King começou 'A Torre Negra' no final dos anos 70 como algo próximo a uma fantasia psicodélica ocidental. Tornou-se muito mais ao longo das décadas, refletindo muitas de suas histórias mais famosas através de realidades alternativas. Foi ótimo finalmente ver a história chegando ao fim.

'A Torre Negra' foi um livro bastante difícil de terminar, ele é um volume cansativo de ler. Desde o início o livro traz uma viagem emocionante e enérgica. Callahan e Jake se defendendo do taheen enquanto Susannah/Mia deu à luz Mordred, Roland e Eddie deixando King por enquanto para tentar encontrar o Ka-Tet que se separou… Foi uma abertura boa para o livro, mas a minha mente começou a divagar quando Jake ficou preso na Armadilha Mental, daí para frente o livro parou de funcionar para mim.

Talvez isso seja spoiler para alguém, mas algumas mortes que aparecem do nada na história me deixaram furioso e triste ao mesmo tempo. Isso talvez não seja uma crítica, somente um leitor botando para fora sua indignação pela perda de seus personagens queridos.

'A Torre Negra' também traz um acúmulo anticlimático muito forte para um último volume de série, todo o enredo do nascimento de Mordred é tratado de uma maneira pouco especial, apesar do esforço notável de Stephen King, o livro é um pouco sem graça e eu também achei o volume final muito apressado, mesmo com 845 páginas.

Um outro ponto que eu não curti foi a quantidade surpreendente de história acontece “fora do livro”, contada em muitas exposições desajeitadas. Essas histórias secundárias geralmente parecem muito mais interessantes do que a narrativa principal e levantam muitas questões.

Quando eu cheguei ao final, senti uma grande pontada no fundo do meu coração foi uma maneira assustadora de terminar a história, mas chega sem peso e emoção, teve até um Deus ex-machina na história, que é uma escolha que empobrece qualquer obra.

Eu fiquei decepcionado com este livro. Parece que, no final, King não conseguiu encontrar uma maneira adequada de encerrar as coisas e escolheu uma saída fácil, é uma pena que ele não tenha conseguido inventar nada mais convincente do que ele fez aqui.


Apesar de não ter curtido muito a série, toda a experiência valeu a pena, 'A Torre Negra' é muito Stephen King, foi um alívio ter terminado essa série, mas vou sentir um pouco de falta de Roland e seu ka-tet!


Nota: 6


Comments


bottom of page