google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

A Máquina do Tempo Resenha

Atualizado: 26 de abr.

A Máquina do Tempo Resenha

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

Sinopse: Um cientista londrino viaja, a bordo de uma Máquina do Tempo, do século XIX para o ano de 802.701. Chegando no que seria a Londres do futuro, o Viajante do Tempo encontra duas espécies que evoluíram do ser humano: os Eloi, que viviam na superfície, e os Morlocks, que se escondiam da luz no subterrâneo. O Viajante do Tempo perde a sua Máquina do Tempo e com apenas uma caixa de fósforos, se pergunta se conseguirá retornar ao presente.

Resenha: 'A Máquina do Tempo' está muito presa ao tempo literário dominante de sua época, a Inglaterra vitoriana. Quando comparado com romances mais modernos, ficção científica ou não, partes dele parecem um pouco pitorescas e abafadas. A obra é superficial, as circunstâncias e a ciência oferecem uma aventura simples, mas não se sustentam.

A obra é aquele típico livro que não está centrado em sua história, mas sim em sua crítica. Há uma valorização extrema do autor H. G. Wells tinha a criticar do que contar, isso torna o livro até mesmo um pouco didático, o que não me agradou muito.

O livro tem um início lento e dado o antigo estilo de escrita e a longa explicação dos conceitos, torna a leitura lenta e pesada. Os conceitos foram explicados de forma simples e com um pouco de humor seco, porém nada convincentes, até para quem é leigo no assunto ciência, não compra as ideias da história.

A obra não é perfeita, mas 'A Máquina do Tempo' apresenta ideias e imagens fantásticas e únicas, tornando-se compreensivelmente uma referência universal quando se trata de ficção científica e viagens no tempo. O que o livro deixa a desejar com sua história e desenvolvimento ele compensa com muita criatividade ao retratar o seu futuro.

'A Máquina do Tempo' é uma crítica mordaz da igualdade de classe e social. O futuro é um lugar onde os privilegiados conseguiram um mundo onde podem levar uma vida de lazer totalmente despreocupados. Os séculos de vida suave transformaram os ricos em criaturas fracas e estúpidas. Enquanto isso, a classe trabalhadora se especializou em horrores subterrâneos que finalmente buscam vingança contra seus antigos mestres.

Isso serve como uma extrapolação do que H. G. Wells certamente viu como um abismo cada vez maior entre ricos e pobres na Inglaterra vitoriana. O autor exagerou na diferença entre os Morlocks e os Eloi para alertar os abastados e o governo britânico de que as injustiças sociais da época seriam desastrosas se não fossem corrigidas.

'A Máquina do Tempo' é uma ótima ideia concebida de uma maneira não muito proveitosa. As críticas do autor H. G. Wells são válidas e importantes a serem discutidas até hoje, porém a sua história é muito simples e didática. As questões da ciência e aventura da trama deixam a desejar deixando tudo superficial, e para piorar a obra não oferece um bom desenvolvimento de personagens. A leitura pode ser rápida, para alguns leitores é possível ler em um dia. 'A Máquina do Tempo' não chega ao nível de muitas obras do mesmo período, mas abriu caminho para muitas histórias e romances de ficção científica realmente excelentes.


Nota: 5


Comments


bottom of page