google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

A Invenção de Hugo Cabret Crítica

Atualizado: 25 de abr.

A Invenção de Hugo Cabret Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS

 

Sinopse: Bem-vindos a um mundo mágico de espetacular aventura! Quando descobre um segredo deixado por seu pai, o esperto e criativo Hugo revela um mistério e inicia uma missão que vai transformar todos os que estão ao seu redor, até chegar a um lugar adorável que vai se tornar seu lar.

 

Crítica: Um filme totalmente diferente do que Scorsese tenha feito, em 3D e com uma linguagem infanto-juvenil. Desafiado pela esposa a fazer um filme em que sua filha de apenas 12 anos pudesse assistir, nasce o belo 'A Invenção de Hugo Cabret'. O filme perde um pouco sua magia se não assistindo em 3D, já que foi todo filmado neste formato ao invés de convertido para 3D, todas as cenas foram pensadas para um feito perfeito em três dimensões.

 

Com tanta tecnologia fica irônico assistir às maravilhas do mecânico no filme, como podemos conferir no relógio, no autômato, nas câmeras cinematográficas e na perna mecânica do guarda da estação.

 

'A Invenção de Hugo Cabret' é um nome bem antiquado já que o pequeno Hugo (Asa Butherfield) não inventa absolutamente nada. Isabella (Chloe Grace Moretz) amiga de aventura de Hugo, Papa Georges interpretado por Ben Kingsley que é simplesmente idêntico ao Georges Mèlies, Stallon (Sacha Baron Cohen) o inspetor atrapalhado e responsável pelo lado cômico do filme, Lisette (Emily Mortimier) a florista.

 

O filme se preocupa em contar o começo do cinema talvez em desesperada tentativa da real história não morrer. O responsável pelo roteiro foi John Logan que conta a história do cinema e faz diversas homenagens ao passado dessa arte, tem um apelo pedagógico muito forte mais parecendo um documentário. O desenvolver da trama e dos personagens se limita para uma história didática, por isso a dificuldade de identificar emoções com o filme e explorar a trama e subtramas.

 

A produção do filme traz uma Paris dos anos 30 fantástica os responsáveis são Dante Ferretti e Francesca Lo Schivaco, um trabalho meticuloso e rico em detalhes, as cores que surgem na tela são saturadas, quentes e parecendo serem iluminadas a lamparinas a óleo, um filme deslumbrante de se ver, um trabalho muito bem feito de Robert Richardson. O filme em 2012 venceu o Oscar de Melhor Fotografia e Melhor Direção de Arte.

 

Baseado no livro de Brian Selznick 'A Invenção de Hugo Cabret' é um filme delicado e bem produzido que conduz a uma viagem na história do cinema. Ganhador de cinco prêmios Oscar, um filme para toda família, é possível caminhar entre o conhecimento e o mundo da fábula e da magia. Pra quem tem uma curiosidade de como o cinema começou este filme é um ótimo começo.

 

Nota: 8




Comments


bottom of page