google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

A Fuga das Galinhas Crítica

A Fuga das Galinhas Crítica crítica filme cinema longa-metragem crítica de filme crítica de cinema

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.

 

Sinopse: A Sra. Tweedy (Miranda Richardson/Nádia Carvalho) é a dona de um galinheiro no interior da Inglaterra, onde a maior parte das aves vive uma vida curta e monótona, limitada a produzir ovos e terminar na panela. Mas quando Rocky (Mel Gibson/ Dário de Castro), um galo vindo dos Estados Unidos surge voando por cima da cerca da Granja, as coisas começam a mudar. Rocky se apaixona por Ginger (Julia Sawalha/Miriam Ficher), que sonha com uma vida melhor e já há algum tempo deseja fugir da granja. Juntos os dois arquitetam um plano para conseguir liberdade. No entanto, Rocky e Ginger logo se vêem correndo contra o tempo quando a Sra. Tweedy decide que é hora de mandar a granja inteira para a o forno.

 

Crítica: "A Fuga das Galinhas" é uma animação mágica que parece soar como nenhum outra animação. O longa-metragem usa animais como substitutos para nossas esperanças e medos, enquanto as galinhas correm por uma tentativa de fuga fracassada após a outra, o charme do filme nos conquista.

 

O filme infantil foi feito com animação em stop motion e produzido pelo estúdio britânico Aardman Animations em parceria com a DreamWorks Animation. "A Fuga das Galinhas" foi dirigido por Peter Lord e Nick Park a partir de um roteiro de Karey Kirkpatrick e de uma história de Lord e Park. O filme conta com as vozes de Julia Sawalha, Mel Gibson, Tony Haygarth, Miranda Richardson, Phil Daniels, Lynn Ferguson, Timothy Spall, Imelda Staunton e Benjamin Whitrow.

 

"A Fuga das Galinhas" começa como uma paródia de filmes de prisão da Segunda Guerra Mundial, como "A Grande Fuga" e "Stalag 17" (o local mais importante do filme é Hut 17). Enquanto a aventura do filme se desenrola o espectador se depara com uma outra paródia, quando Ginger e Rocky correm pelas entranhas da máquina de torta de frango, em uma sequência de ação parodiando "Indiana Jones e o Templo da Perdição". Essa animação é extremamente divertida.

 

Como um deleite de verão para as crianças, "A Fuga das Galinhas" é uma aposta muito sólida. O filme é sempre envolvente, cheio de humor brilhante, maravilhoso trabalho em stop-motion, conflito dramático e caracterizações maravilhosamente matizadas. O cenário confinado, semelhante a uma prisão, que raramente é deixado durante o filme, parece ter colocado uma espécie de camisa de força dramática no impulso dos cineastas para viagens laterais bacanas e digressões surpreendentes.

 

"A Fuga das Galinhas" não se resume em simplesmente mostrar galinhas tentando fugir e uma série de cenas episódicas. Há ousadia e habilidade no plano de fuga, mas também testes de caráter, à medida que os pássaros olham para suas almas e descobrem convicções ocultas. Em um filme infantil mais convencional, a trama prosseguiria no piloto automático.

 

No seu fim de semana de estreia nos Estados Unidos, o filme arrecadou US$ 17.506.162 por uma média de US$ 7.027 em 2.491 cinemas. O longa-metragem arrecadou mais de US$ 224 milhões, tornando-se o filme de animação em stop motion com maior bilheteria da história. Até o momento, "A Fuga das Galinhas" é o filme de animação em stop motion com maior bilheteria da história.

 

O que eu mais gosto de "A Fuga das Galinhas" é que ele não é simplesmente um quebra-cabeça da trama a ser resolvido com uma fuga inteligente no final. É observador da natureza humana (através de galinhas). Este filme sobre galinhas é mais humano do que muitas comédias por aí. O longa-metragem é engraçado, perverso, inteligente, visualmente inventivo, gentil, doce, carinhoso e tocante.

 

Nota: 9



Commentaires


bottom of page