google.com, pub-4979583935785984, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page
  • Vinicius Monteiro

A Dama e o Vagabundo (Animação) Crítica

A Dama e o Vagabundo (Animação) Crítica

Esse texto pode conter possíveis SPOILERS.


Sinopse: Dama é uma cadelinha da raça cocker spaniel, que vive na mordomia e no acolhimento da casa de seus donos, a aristocrata "Querida" e seu esposo Jim. Ela sempre recebeu carinho e tudo que queria, só que com Querida grávida, ela começa a se sentir em segundo plano. É justamente nessa fase que ela conhece Vagabundo. Ele é um cachorro de rua, vira-lata e que tem que se virar para sobreviver. Até que um dia a dona de Dama viaja e deixa o bebê recém-nascido sob os cuidados de Tia Sarah, uma mulher que tem dois malvados gatos siameses. Eles armam uma tremenda confusão e culpam a cadelinha, que para se proteger tem de fugir. Dama então se perde na cidade, e vai depender da ajuda de Vagabundo para sobreviver e também para voltar aos seus donos humanos.

 

Crítica: Superficialmente, o filme é uma simples história de amor contada com cães, em vez de humanos. 'A Dama e o Vagabundo' também retrata sentimentos mais sutis e poderosos. Lady experimenta todos os sintomas da rivalidade entre irmãos: rejeição, ciúme, solidão e rebelião, antes de aprender a aceitar a presença do bebê e seu próprio status alterado.

 

A animação em si é maravilhosamente polida. A essa altura, os artistas da Disney podiam desenhar praticamente qualquer coisa e capturavam os ritmos e padrões do movimento canino com uma fidelidade extraordinária. Mais importante, os movimentos ajudam a delinear os personagens: o passeio alegre de Tramp estabelece sua personalidade de feliz e azarado, assim como o braço oscilante de Peg proclama seu passado sombrio e espetacular.

 

Mas, ao contrário de um filme como Titanic, que argumenta que a liberdade da classe baixa é melhor do que a rigidez da classe alta, 'A Dama e o Vagabundo' encontra grande empatia pelos cães dos dois lados, não há nenhum vilão real no filme. Jock e Trusty são carinhosos por sua lealdade, mas os cães da classe baixa são igualmente carinhosos por sua franqueza e senso de humor.

 

'A Dama e o Vagabundo' é o raro filme da Disney mais interessado na realidade do que na fantasia. Certamente, envolve um mundo imaginário de cães falantes, enquanto refletem e refratam o cenário de 1909 fielmente. Muitos dos criadores que trabalharam no projeto - incluindo o próprio Walt Disney - cresceram nesse período e o filme está cheio de nostalgia por uma era mais simples.

 

Nota: 8



Comments


bottom of page